Mulher atropelada no Guarani não resiste e morre no hospital

0
144

Olendina Vanatti, de 48 anos, a mulher que foi vítima do atropelamento registrado na madrugada de domingo (18) no bairro Guarani, não resistiu aos ferimentos e morreu no Hospital de Azambuja nesta segunda-feira (19). Ela tinha sido atropelada por uma moto com placa de Guabiruba, quando atravessava uma faixa de pedestre por volta de 4h20.

O mais revoltante é que o piloto, que teve ferimentos leves, para tentar justificar o ocorrido, afirmou que pensou que se tratava de um cachorro atravessando a faixa de pedestre. A informação foi passada por um filho da vítima, que tinha descido de um veículo, iria atravessar a avenida General Osório e caminhar mais alguns metros para retornar a sua residência.

O impacto do acidente foi tão grande que a mulher foi projetada, ou “arrastada” como citou o filho, por cerca de 25 metros de distância. Já a motocicleta foi parar na cabeceira da ponte que dá acesso ao Clube Guarani. Olendina está sendo velada na capela do Cemitério da Saudade e será sepulada nesta terça-feira (20).

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA